sábado, 10 de março de 2012

Marinalva Barros



Poema de amor



Por todos os motivos,
não se findem
os vestígios da noite
e a luz de velas perfumadas.
Nada quero saber
da presença do dia
e suas coisas banais,
estou ocupadíssima
praticando a arte
de morrer em teus braços.




Imagem retirada da Internet: em teus braços