domingo, 13 de fevereiro de 2011

Mário Quintana - Poema


Canção da Garoa




Em cima do meu telhado,
Pirulin lulin lulin,
Um anjo, todo molhado,
Soluça no seu flautim.


O relógio vai bater;
As molas rangem sem fim.
O retrato na parede
Fica olhando para mim.


E chove sem saber por quê...
E tudo foi sempre assim!
Parece que vou sofrer:
Pirulin lulin lulin...



In. Jornal de Poesia

Imagem retirada da Internet: anjo no telhado