segunda-feira, 14 de junho de 2010

Francisco Perna Filho - Poema



















INSTINTO


Ao meio dia,
no centro do mundo,
o homem cava palavras.
Respira.
As mãos atentas
imitam o instinto.
Reprisa.
No primeiro momento,
A palavra Terra reina soberana,
por mais doente que esteja.
Seguem a ela graveto, promessa,
Prometeu,
esperança,
desejo,
retalhos.
Ao meio dia,
no centro do mundo,
um vazio semântico.



In.Refeição. Francisco Perna Filho. Goiânia: Kelps, 2001, p.57.
Imagem retirada da Internet: Prometeu.