sábado, 18 de junho de 2011

Hermann Hesse - Poema


JUNHO EM DIA DE VENTO


O lago está parado feito vidro.
Na alcantilada encosta da colina
ondula em prateado a relva fina.

Lastimosa e com seu temor da morte,
grita no ar uma ave de arribação
cambaleando em curvas indecisas.

Voando para cá, vem do outro lado
um som de foice e um forte olor do prado.


In. Andares. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, p.57.
Imagem retirada da Internet: Lago Llanquihue