sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

SONETO EM DESALINHO





Francisco Perna Filho









Para onde me levará este olhar,

quando ainda não compreendo os caminhos,

com um amargo da palavra que me invade

e a luz rouca dos teus olhos que me fitam.


No teu silêncio principio a minha angústia,

longe, vaga, e tão presente me assola,

de dia, brinco, rio, falo, cantarolo,

de noite, cego, tateio sem destino.


Houvesse uma bússola para consolo,

nas batidas lentas dessa nossa vida,

eu seria um outro homem em escalada,


Mas a vida sonora é silêncio,

e a luz que brilha é o caminho que me cega,

quedo em canto, em pranto, em incerteza, em nada.



Palmas, 30/06/2009


Imagem: Lucien Freudhttp://media.photobucket.com/image/lucien%20freud/drawpartner/freudbyauerbach.jpg