sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

Edival Lourenço - Poema



O vinho dos dias

                                             Para Tânia Eloísa


Os dias são frutas
plenas de caldo e viço
num daqueles cachos
ainda apegados à videira.

A gente colhe os dias
transporta os dias
que se ferem pelo mau jeito
no assoalho da carroça.

Os dias a gente esmaga
com os pés na tina
dos ofícios e do sumo
faz o vinho
            da safra possível.

Vem, amada minha!
Vamos nos embriagar
com o vinho desta safra
depois a gente se deita
sobre o bagaço dos dias.

E as sementes lançadas ao solo
vão escrevendo novas videiras
com caligrafia de cipó.


In. Revista Poesia Sempre, nº31. Rio de Janeiro, 2009, p. 126. 
Imagem retirada da Internet: uvas