quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Francisco Perna Filho - Poema

 
Amizade


O que nos roubam os filhos
além da nossa insegurança?
o pacto de que estarão sempre presos a nós.
custe o que custar,
façam o que fizer,
haverá sempre um vínculo,
uma centelha,
um murmúrio,
uma desilusão.
Não os criamos
para nós,
mas os defendemos
dos vermes,

dos crápulas,
dos maldosos.

Nos insones momentos
não saberão de nós,
embora estejamos sempre presentes.

Sós,
mas perto,
a amá-los enviesados,
infiéis;
seremos sempre companheiros,
mesmo na ausência,
na distância,
infinitamente.

Imagem retirada da Internet: amizade