segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Dylan Thomas - Poema

Dylan Thomas
 Canção de Mr. Waldo


Quando era moço, em Pembroke City,
de Castle Keep morava ao pé.
Por seis vinténs eu ajudava
o limpador de chaminé.
Magros vinténs que ele me dava,
nem mais nem menos um tostão;
com aquele cobre eu só comprava
gim de cenoura e um agrião.
Não carecia faca ou garfo
nem guardanapo no pescoço
para comer meu agrião
e beber meu gim no almoço.
Você conhece algum rapaz
que andasse assim tão mal de vida,
sem carne ou osso na comida
e um gim de se chorar até?
Quem quer o limpa-chaminé,
velava eu pela cidade,
pobre e descalço em plena neve
que uma mulher teve piedade.
Pobre do limpa-chaminé,
mais sujo e negro do que o breu.
Ninguém me limpa a chaminé
des’ que o marido me morreu.
Venha limpar a chaminé,
Venha limpar a chaminé,
Disse corada de emoção,
Venha limpar-me a chaminé
E traga lá seu escovão.

Tradução de Ivo Barroso