quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Mário Chamie - Poema


Rei


Era um rei
que vinha
com mastros e bandeiras.
Era um rei oposto,
desses que trazem
a coroa
do lado do desgosto,
contra força
do seu povo.
Não era um joão sem terra.
Era um rei sorrateiro
que pisa no reino
e quer o terreno
de todo o terreiro.

Sem porteira
vinha para ser dono.
Era um rei de mando
que desmandava
entre o mastro e bandeira
do alto do seu trono.
Era um rei do mando.
Era um rei do engano.

Pôs o espanto
no rosto do seu povo
e o desgosto
no lado oposto do seu mando.
Era um rei deposto.

In. A quinta parede. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1986. p.152-3
Imagem retirada da Internet: rei