terça-feira, 5 de junho de 2012

Urhacy Faustino - Poema




                               Inventário de safras


I



Ceifar o trigo;
ordenhar a vaca;
moer café.


Beneficiar o pão;
manipular o leite;
extrair a essência.

Preparar a mesa, da manhã.


II



Observar lua propícia,

plantar, na certa colher:

arroz, feijão, hortaliças e flores -
não esquecer: colibri precisa comer.


Tratar bem galo e suas galinhas,
pra ter ovos e despertador.


E rezas para agradecer farturas
no almoço e no jantar.




III



Noite,
piar de coruja, longe.
Um silêncio quase,
não fosse o ruminar dos animais.

                Pirilampo que se perdeu do pasto,
faz-se estrela única,
no teto do quarto escuro.


IV


Cão amigo,
para ladrar estranhos.
Gatos no telhado —
aquecedores de pés em noites de inverno.

Livros, muitos deles,
espalhados nos cantos certos da casa.

E uma avó, cheia de histórias,
na mesa de cabeceira,
para os dias de preguiça.


                                     Imagem retirada da Internet: safra