terça-feira, 19 de junho de 2012

Francisco Perna Filho - Poema (Inédito)


Insone


Os galos da insônia
emergem
feito kamikazes
disparando seus esporões
nas fendas da madrugada.

Bicam a escuridão,
lamentosos,
arrastam-se na noite,
lamacenta,
transtornada
em
    abismos
e sonhos.

São de puro aço,
olhos em abrasa,
crista altiva,
flores do nada.

Sementes de abismo,
nunca amanhecerão.

Imagem retirada da Internet: rinha