sábado, 19 de maio de 2012

Yara Ferreira - Poema

 
Vestal Cartesiana 

há um deus que perfura as almas
para ver o que elas têm por dentro
como se alí
ao procurar
fosse encontrar a si mesmo.
deus, olhai-me dentro.
procure e ache o que não posso ver:
minha própria imagem num espelho negro.
meu coração agora é todo chamas,
a incendiar-me inteira
a cada pensamento.
e comigo eu sei,
também morre um deus
desfeito nas cinzas da esperança
mostrando sua real face:
a minha imagem
à minha semelhança.

Imagem retirada da Internet: vestal