sábado, 12 de maio de 2012

José Epifânio Parente Aguiar - Conto


Tem disco voador no pedaço


 


Chegou à casa da mãe, em Miracema, acompanhado da mulher. Pediu "bença" e perguntou: - Cadê Salu? - Meu fii, ele tá lá no mercadin, invernado na cachaça. - Parece que a senhora tá de saída pra lá? - É, vou comprar uns tempero. - Pera aí, mãe, aguarda um instantin que eu vô arrancá ele dessa pingaiada. Às pressas, o visitante, seu irmão, redigiu um bilhete e o despachou pela mãe, assim:

 
- Caro Salustiano, permita-me a intimidade, Salu. Estou hospedado no Plaza Hotel, em Miranorte. Na condição de pesquisador de fenômenos ufológicos, recebi comunicados sobre aparições de OVNIS nas proximidades de uma das aldeias de índios xerentes, a de Funil, no município de Tocantínia. Em levantamento sobre estudiosos da matéria detectei na internet que vossa senhoria é um dos poucos em Tocantins que pesquisa tais fenômenos e é, portanto,  a pessoa talhada para compor  a nossa equipe e assim nos dirigirmos até aquela localidade. Esclareço que sou catedrático aposentado pelo Departamento de Psicologia da Universidade de Madri, colombiano, radicado há mais de seis anos no Vale do Amanhecer, entorno de Brasília. Como o tempo urge, dentro de duas horas quero estar com vossa senhoria para discutirmos uma estratégia de ação, se vos interessar, e partirmos imediatamente para a aldeia e, in loco, levantarmos quais são os interesses desses alienígenas, se são amigos ou hostis. Aliás, reconforta-me saber que os dinossauros desapareceram por causas naturais, mas apavora-me pensar que possamos ser varridos por extraterrestres. Como se vê, meu caro Salu, a nossa missão reveste-se de uma importância dramática. Assinado: Pablo Navarro Sanchez.


Ao  receber o bilhete, extasiado e espantado, Salu largou o copo, pendurou a conta e a passos largos voltou para sua casa, ficando a mãe para trás, pois já estava atrasado e não queria deixar tamanha sumidade a esperá-lo. "Cadê o professor?", foi logo perguntando, ao entrar. "Está neste quarto aqui do lado e pediu, por enquanto, para não ser importunado, pois está concentrado, fazendo meditação. Porém, quando ele der três toques na porta, será a senha para você entrar", instruiu-lhe a esposa do irmão, sentada no sofá. "Caraca!! Como é que me acharam depois de tanto tempo? Participei de um congresso de ufologia na década de setenta , coordenado, à época, pelo saudoso general Uchôa. Foi uma decepção, nem acreditaram que já fui abduzido. Como o mundo é pequeno, véi", comentou Salu.  De repente,  grunhidos estranhos soaram... uma pausa,  grunhidos, nova pausa, mantras ininteligíveis foram pronunciados, tudo se intercalando por uns vinte minutos. Salu, escolado, deduziu: - Ih véi, o mestre tá recebendo entidades, o cara incorpora legal, entende? - Entendo,  respondeu-lhe a cunhada. Depois de um  novo intervalo a tão esperada senha foi apresentada: Três toques, Salu se levantou, pegou na maçaneta e entrou, cheio de expectativa. Ali, deparou-se com a seguinte cena: Um senhor, sentado na cama com um lençol branco cobrindo-lhe a cabeça e o tronco, estático. Salu, por uns cinco segundos ficou estatelado, mas resolveu reagir e bradou, com seu inglês tocantino: - relou mai friende! Quebrado o silêncio, de repente o professor Pablo, com um salto, levantou-se, jogou o lençol para trás e gritou: - Sou eu, Salu. Este, num misto de surpresa e decepção, explodiu: - me pegou filho da p...

José Epifânio Parente é sociólogo, ex vice-prefeito de Miracema do Tocantins
Imagem retirada da Internet: ovni