sexta-feira, 23 de março de 2012

Murilo Mendes - Poema

 

A VOLTA DO FILHO PRÓDIGO


Ofício no altar terrestre,
Roseiras dando-se as mãos,
Iluminações na usina.
O filho pródigo
Despertou as nuvens,
Levanta a saia das árvores,
Abraça o amigo e o inimigo.
Navios batendo palmas
O esperam na enseada.

Ordenam a sinfonia:
Nijinsky dançando no arco-íris
Reconcilia o céu e a terra.

Imagem retirada da Internet: Nijinsky