terça-feira, 15 de novembro de 2011

Micheliny Verunschk - Poeta


  Do meu amor para a tua infância


O menino de porcelana
Brincava dentro da fotografia
Alheio
Ao meu fogo que o via de longe.
Ele, que não sabia da porcelana,
Cavalgava a árvore,
Seu cavalinho de pau
( As árvores são dois meninos


Há tempos imemoriais ).
Ele, que não sabia da porcelana,
Só conhecia a heráldica das arranhaduras
( Doloridos dragões de línguas rubras ).


Fonte Jornal de Poesia
Desenho by Francisco Perna Filho