terça-feira, 29 de novembro de 2011

Manuel Maria Barbosa du Bocage - Poema


Foto by Gustavo Ribeiro

Incultas produções da mocidade
Exponho a vossos olhos, ó leitores:
Vede-as com mágoa, vede-as com piedade,
Que elas buscam piedade, e não louvores:

Ponderei da Fortuna a variedade
Nos meus suspiros, lágrimas, e amores,
Notai dos males seus a imensidade,
A curta duração dos seus favores:

E se entre versos mil de sentimento
Encontrardes alguns, cuja aparência
Indique festival contentamento,

Crede, ó mortais, que foram com violência
Escritos pela mão do Fingimento,
Cantados pela voz da Dependência.



In. Sonetos e Outros Poemas. São Paulo: FTD, 1994, p.19.