domingo, 6 de novembro de 2011

Francisco Perna Filho - Poema

Intenção


Atravesso o poema
como bala certeira
e não me engasgo.
Já sobrevivi
a outros textos,
pretextos,
e intenções.
Corrompi palavras,
assassinei sentenças,
maquiei imagens,
tolerei hiatos.
Pintei o sete
no inacabado verso
sem saber
de mim.

Imagem retirada da Internet: sem título