sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Francisco Perna Filho - Poema


LANTERNAS



Lanternas
sepultam as sombras,
as dobras,
o escuro.
São fios de luz
que refazem
a noite
esquecida
nas esquinas solitárias.
São sobras,
dilemas,

que se revelam
impressas
na luz:
vagidos,
vãos,
cumeeiras,
desacordos,
insônias,
desamores
e medo.

Imagem retirada da Internet: lanterna