segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Francisco Perna Filho - Poema


Encantamento


Na chuva,
bailam absolutas
mariposas,
libertas do amargor
de longa espera,
voam predestinadas
ao infinito,
silenciam
com os pingos,
viram água.

domingo, 30 de outubro de 2011

Francisco Perna Filho - Poema


Foto by Satoshi

PEIXE


Nada me prende
a nada.
o peixe
tão solto
na água,
exatamente
só,
infelizmente
só,
sobrevivendo a
corredeiras,
redes
e anzóis.

sábado, 29 de outubro de 2011

Francisco Perna Filho - Poema


Narciso (1594-1596), por Caravaggio.

SIMULACRO


A imagem
no fundo do poço
pronta para saltar
no rosto
de quem a espreita.
Tremeluzente,
pacifica
a permanência
do simulacro.
No desespero,
torna-se opaca
devorando o rosto
pelo qual se apaixonara.