sábado, 3 de setembro de 2011

Thiago de Mello


Flor de açucena

Quando acariciei o teu dorso,
campo de trigo dourado,
minha mão ficou pequena
como uma flor de açucena
que delicada desmaia
sob o peso do orvalho.
Mas meu coração cresceu
e cantou como um menino
deslumbrado pelo brilho
estrelado dos teus olhos.

In. Jornal de Poesia
Imagem retirada da Internet: Thiago de Mello