segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Luiz de Aquino - Poema



A MOÇA CHEGANTE



Vi chegar a moça de preto
e era preto o que mais havia
entre as moças antes vindouras.

A moça chegante
sorria ofegante e dizia o nome
Anamélia
ante a poesia de anestesia
rebrotada ao som dos passos.

Ansiei a alvorada
para não doer mais.


In. Jornal de Poesia
Imagem retirada da Internet: mulher de preto