sábado, 27 de agosto de 2011

Francisco Perna Filho - Poema

Somália


um mar de  gente sedenta,
                           faminta,
degusta palavras,
                          definha em sóis
de uma existência precária.
Somali,
só mal,
        de sol a sol,
sozinha,
     a criança brinca com os seios da mãe:      
sugando o inexistente,
brinca de ser eterna.

               

Imagem retirada da Internet: fome