terça-feira, 26 de julho de 2011

Lau Siqueira - Poema



razões noturnas





os dias devoram nosso medo
aves de vôo longe que somos

...ilhas de pouco mar
pensamentos ancorados
à beira bar

alimentos de sombra e luz
sobre as varandas


distâncias alimentadas
pelo esgar do infinito


(respiramos fuligem e
certa dose imantada
de coisas que irão
compor profusões do
tempo que nunca irá
permanecer entre o
sol e a escuridão sem
luar)


a vida carrega
algumas metades de cada
metade morta

In. Poesia Sim
Imagem retirada da Internet: vela