segunda-feira, 11 de julho de 2011

Francisco Perna Filho - Poema

Espelho



As palavras são alarme da alma
irremediavelmente estou enredado nelas.
Palavras que calam,
que bradam,
que insinuam e desnudam.
Estou dividido.
Fito os vocábulos
e alinhavo
o meu querer.
Espelhadamente estou bem.


Imagem: René Magritte "O Duplo Secreto" (1927)