sexta-feira, 1 de julho de 2011

Francisco Perna Filho - Poema


Este ano, mais precisamente no dia 18 de  outubro, o meu primeiro livro "Refeição" completa 10 anos do seu lançamento. Para comemorar a data, postarei, ao longo deste mês de julho, vários poemas que fazem parte do livro. Aproveito para homenagear os corresponsáveis pela materialização do mesmo: Faculdade Cambury (Goiânia) e Secretaria Municipal de Goiânia (Lei de Incentivo à Cultura).


Refazendo





I                                                               


Todos os portos,
todas as palavras.
Nos terminais desertos,
à sombra das velhas marquises,
o Poeta refaz-se do último pesadelo:
o grito incolor das insones madrugadas,
das segundas-feiras borradas de desordem
e desencanto.
Todas as pensões,
todos restaurantes.
Nas rodoviárias abarrotadas,
à mercê das buzinas e moscas,
ele se refaz da sua penúria:
dos meses que se seguiram sem pão,
sem água e sem encanto

II


Todas as ausências,
todas as mulheres.
Nos prostíbulos,
sob a oblíqua penumbra da lascívia,
o Poeta refaz-se de sua fome existencial:
nos momentos solitários de becos e muros,
de desencantos e esguichos...
catalogando mulheres na imaginação.
Todas as crenças,
todas as filosofias.
Na experiência mundana,
ele refaz-se dos irresolutos momentos.
Um leque de possibilidades:
no Outro, no Mundo e em Deus.
Preferindo a realidade,
santifica - se.

In. Refeição. Goiânia: Kelps, 2001, p.109-111.