domingo, 19 de junho de 2011

Francisco Perna Filho - Poema


Prece 



Afasta de mim,
meu Deus,
este cinza dos olhos,
a lonjura da esperança
e o declive do desengano.
Não permitas
que a zombaria seja fato
nesta tarde,
mas que o afeto
escandalize todo o resto do dia.
Sobriedade, Senhor,
é o que eu peço,
para compor esta elegia
em louvor às ruas desertas,
aos cais abandonados,
e  às ausências perpetuadas.


Imagem retirada da Internet: cais abandonado