segunda-feira, 18 de abril de 2011

Francisco Perna Filho - Homenagem ao meu filho João Pedro nos seus quinze anos



Meu filho...




      É manhã e eu me vejo com outros olhos, João Pedro, meu filho. Olhos de quem abrasa o mundo: muitas vezes terno, muitas vezes vil, muitas vezes desumano e cheio de dores. Dores que em nós vêm se fundindo nesses tempos todos para que, de uma forma plena, pudéssemos estabelecer o canto do qual farás parte.
    No princípio era o verbo: “era”, “eras” e agora, a menos de dez meses, a pessoa se transforma e somos “NÓS” – Nós, que modificou o meu coração e o corpo da tua mãe, que de forma iluminada te tem acalentado os sonos e sonhos e que se transforma para receber-te.
     Meu filho, assim posso chamar-te, beijar-te, iluminar-me com a tua luz e chorar com o teu choro, rir com teus gestos e passear com os teus olhos tomados de inocência e inspiração.
       Confesso-te iluminado, João Pedro, meu filho, parte minha, que em ti está o meu simples legado: a alegria das manhãs de sol, a tristeza das partidas e a exaltação poética e idílica dos que lêem a alma do mundo.

BEM VINDO!!!


18 de abril, de 1996.