segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Gilberto Mendonça Teles - Poema


Ballet


Teu nome dança na palavra. Acerta
o timbre das vogais e, a cada instante,
se faz gleba e glicínia, descoberta
de um gêiser no vapor da consoante.

É ele que reluz na letra L,
no corpo da mulher que, airosa e fina,
se exibe no poema e, pele a pele,
deixa no ar seu perfil de bailarina.

É dele que provêm a forma, o estilo,
a beleza sem fim e sem começo:
o segredo maior e mais tranquilo
para ser dito apenas pelo avesso.



In. Linear G. São Paulo: Hedra, 2010, p.78.
Imagem retirada da Internet: Bailarina