domingo, 31 de outubro de 2010

Adriano Eysen - Poema












Elegia às meninas meigas



Cantemos as mulheres
que trazem na noite
o aroma do sexo
e uma tristeza que habita a lua.

São elas fidalgas
que guardam o pecado
por trás dos vestidos
envelhecidos na memória.

Cantemos suas tramas
que se findam nas camas
numa réstia de madrugada.

Lá vão elas, meninas meigas
carregando em seus corpos
a lucidez dos deuses
que as amam.



In.Cicatriz do Silêncio. Salvador:EPP, 2007,p.57.
Imagem retirada da Internet: bluegirl