terça-feira, 14 de setembro de 2010

Almada Negreiros - Poema


ODE A FERNANDO PESSOA



Tu que tiveste o sonho de ser a voz de Portugal

tu foste de verdade a voz de Portugal

e não foste tu!

Foste de verdade, não de feito, a voz de Portugal.

De verdade e de feito só não foste tu.

A Portugal, a voz vem-lhe sempre

depois da idade

e tu quiseste aceitar-lhe a voz com a idade

e aqui erraste tu,

não a tua voz de Portugal

não a idade que já era hoje.

Tu foste apenas o teu sonho de ser a voz

de Portugal

o teu sonho de ti

o teu sonho dos portugueses

só sonhado por ti.

Tu sonhaste a continuação do sonho português

somados todos os séculos de Portugal

somados todos os vários sonhos portugueses

tu sonhaste a decifração final

do sonho de Portugal

e a vida que desperta depois do sonho

a vida que o sonho predisse.

Tu tiveste o sonho de ser a voz de Portugal

tu foste de verdade a voz de Portugal

e não foste tu!

Tu ficaste para depois

e Portugal também.

Tu levaste empunhada no teu sonho

a bandeira de Portugal

vertical

sem perder pra nenhum lado

o que não é dado aos portugueses.

Ninguém viu em ti, Fernando,

senão a pessoa que leva uma bandeira

e sem a justificação de ter havido festa.

Nesta nossa querida terra onde ninguém

a ninguém admira

e todos a determinados idolatram.

Foi substituído Portugal pelo nacionalismo

que é a maneira de acabar com os partidos

e de ficar talvez partido de Portugal!

mas não ainda talvez Portugal!

Portugal fica para depois

e os portugueses também

como tu.



In.Jayrus

Imagem retirada da Internet: by Almada Negreiros