domingo, 22 de agosto de 2010

Valdivino Braz autografa romance no Pop House



Obra parodia e satiriza período da história brasileira





O romance “O Gado de Deus”, do jornalista e escritor Valdivino Braz, tem noite de autógrafos nesta terça-feira, 24, às 20h30, no bar Pop House, localizado no Setor Marista (ver Serviço). O evento conta com o apoio da casa, que abriga iniciativas culturais e convidou o autor para a noite de autógrafos. O livro integra a terceira edição do projeto Coleção Goiânia em Prosa e Verso, da Prefeitura de Goiânia.

Escrito entre os anos 1980 e 1990, “ O Gado de Deus” recebeu certificado de Menção Honrosa no Concurso Nacional de Romances do Paraná, em 1993, quando concorreu com o título “As Dores da Terra Antiga”, uma vez que intercala cenas rurais gravadas na infância do autor. Misto de paródia e sátira, onde um país de nome Pátria é uma clara alegoria, o romance inspira-se na história e no caráter macunaímico da sociedade brasileira, sobretudo no golpe militar de 1964.

“O regime militar foi o Produto Interno Bruto para as narrações contidas no romance, feito um fio elétrico desencapado e sangrento, mesclando-se realidade e ficção. A obra mantinha-se inédita há duas décadas, e não vem a público para repisar o pisoteio do golpe — terra batida de negra memória, já nos anais da história —, mas, sim, retirar da gaveta uma amarelada obra de ficção”, esclarece o autor. Acrescenta, no entanto, que “O Gado de Deus” é um tratamento de choque para sacolejar consciências adormecidas e, quem sabe, suscitar reflexões.

Ainda de acordo com o autor, realidade e ficção compõem um painel com tintas escabrosas, escatológicas, filosóficas, poéticas, hilárias, heréticas e, sobretudo, políticas, sem poupar esquerda ou direita, sociedade e religião, instituições estatais, poderes constituídos e autoridades estabelecidas.

O romance traz “Livro do Ressentimento” como subtítulo. Há personagens baseadas em pessoas reais, de Goiás e de Minas Gerais, além do próprio autor, na irônica figura do menino Inocêncio de Deus Divino. Chorosas e ressentidas, as falas dos personagens são de estarrecer, incluídas umas heresias arrepiantes, envolvendo a Providência Divina. E não é por menos a advertência de Braz na abertura do livro, no sentido de que o leitor esteja preparado.

“O romance lida com o gado, o rebanho de Deus, como se diz da humanidade, logo é um bicho bruto, e não é para espíritos fracos, muito menos para fanáticos religiosos ou ideológicos, embora nada os impeça de ler o livro. Mas lê-lo com inteligência, sem hipocrisia, para entender a dimensão humana dos personagens”, acentua Braz.

Ousado, Valdivino Braz vende seu peixe afirmando que o romance pode não ser um dos melhores do gênero em Goiás, mas é a paródia que faltava na literatura goiana, “que é tão brasileira quanto a de outros estados”. Modesto, como ele se diz em tom maroto, sonha com“O Gado de Deus” no eixo Rio-São Paulo, no vestibular das universidades goianas e nas salas do Ensino Médio.


Sobre o Autor


Valdivino Braz é goiano, residente em Goiânia. Jornalista formado pela Universidade Federal de Goiás, com passagem por vários órgãos de comunicação, como jornais, revistas, televisão, assessorias de imprensa e agência de publicidade. Além de “O Gado de Deus”, publicou dois livros de contos e dez de poemas, seis dos quais premiados em concursos do gênero, inclusive o Prêmio Nacional de Literatura “Cidade de Belo Horizonte”, em 1992, com o livro “A Trompa de Falópio”. É detentor de outras premiações, regional e nacionalmente. Possui obras inéditas e outras em preparo. Há quatro anos escreve para a revista eletrônica “Bula”, de Goiânia, destacada entre as cinco melhores do País. Braz recebeu, em 1996, o Troféu Tiokô de Poesia, da União Brasileira de Escritores – Seção de Goiás (UBE-GO), da qual é secretário-geral reeleito. Em 2004, foi agraciado com o Troféu Goyazes de Poesia “Leodegária de Jesus”, da Academia Goiana de Letras (AGL).



Serviço:

Evento: Noite de autógrafos do romance “O Gado de Deus”, do jornalista e escritor Valdivino Braz

Data: Terça-feira, 24 de agosto de 2010

Horário: 20h30

Apoio: Pop House, bar e eventos culturais (Rua 1.145, nº 228 – Setor Marista – Nos fundos do Batalhão de Choque da PM. Via de referência: Av. Ricardo Paranhos)

Preço do livro: R$ 20,00


Foto by Flávio Isaac