sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Enzo Carlo Barroco - Poema













Paisagem num fim de tarde





Ai, essa tarde tão bela

Sobre a baía turva,

Ante uma nuvem amarela,

Ante o dia que se encurva!


E um vento trazendo frio,

Não vejo sinal de chuva;

Súbito um arrepio

Na tarde silente e fulva.


Na paisagem me intrometo

Pois os segundos se apressam,

Que a noite surgiu à porta


Toda vestida de preto.

Ai, essa tarde tão bela

Logo mais estará morta!




Enzo Carlo Barrocco, paraense de Tracuateua, poeta, contista, cronista e pesquisador literário, no convés da fragata desde 1960, caminha por vários gêneros poéticos, como o soneto, o poema livre, o poetrix a trova, o hai-kai, embora algumas vezes tenha enveredado pelas sendas do conto, da crônica e da pesquisa. A síntese, como próprio poeta gosta de afirmar, é a sua principal característica, dando especial atenção à poesia que é o seu melhor momento.



Imagem retirada da Internet: Fim de tarde em Niterói