sábado, 15 de maio de 2010

Darcy França Denófrio - Poema












ALGA MARINHA


Alga marinha lançada ao mar aberto,

navego à deriva — não estou presa a nada.

Quero achar o meu caminho — o do começo —
mas me instalaram nesse arremesso
e não conheço a maré do princípio
que me jogou nesse permanente risco.

Alga marinha nesse amaro mar,
sem pontos cardeais, mapa-múndi
ou estrela-guia, vivo à deriva.

Não conheço meu porto (asseguro)
e um dia só serei verdes cabelos
envolvendo corpos destroçados

que viajaram na maré montante
e chegaram afogados de aurora
à praia maior - de todos os oceanos.


(In.Amaro mar, pág. 37, 1988

Imagem retirada da Internet: Alga marinha