sexta-feira, 30 de abril de 2010

Brasigóis Felício - Poema




A ÍNTIMA PÁTRIA



“A pátria é o embaixo das roupas”: (1)

nas personas que a levam

nos dentros das partes pudendas

é sentida como ruas conflagradas,

ocultas à visão do público.


Em nações amedrontadas do íntimo

nos escondemos das duras verdades

que, por cruéis, são negadas,

em nossa recusa em suportá-las.


Se a pátria é o que vai

entre os refolhos das roupas,

serve de consolo saber:

“Não há uma força universal

entre as pernas, a não ser a que

nos habita entre as pernas”. (2)




(1) Pio Vargas

(2) José Ângelo Gaiarsa


Imagem retirada da Internet: Sísifo