sábado, 20 de março de 2010

Ana Cristina César - Poema












O tempo fecha



Sou fiel aos acontecimentos biográficos.
Mais do que fiel, oh! tão presa! Esses mosquitos
que não largam! Minhas saudades ensurdecidas
por cigarras! O que faço aqui no campo
declamando aos metros versos longos e sentidos?
Ah que estou sentida e portuguesa, e agora não
sou mais, veja, não sou mais severa e ríspida:
agora sou profissional.


In. A teus pés. São Paulo: Brasiliense, 1982, p.9.
Imagem retirada da Internet: Ana Cristina César