quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Soares Feitosa - Poema












Millenium




Nem anzóis, nem redes.

Sequer ele próprio, em boa culinária,
aos molhos, azeites, azeitonas,
numa manhã de folguedos. Não.

Nem isto. Peixe algum te chegue à boca.

Que seja teu,
permanente, ainda que escuro seja
o dia —
espelho e face, a ti, o Retrato do Peixe.


(Fortaleza, 22.12.00, de tarde).

Imagem retirada da Internet - Cesta.