domingo, 17 de janeiro de 2010

Francisco Perna Filho - Poema













HAITI


A terra fende,
os corpos fedem,
as almas fogem.
Só agora te tornas visível
aos olhos do mundo.
uma esperança fugidia,
desmantelada,
emerge dos escombros,
dos gritos petrificados,
dos anos de desgoverno,
de exploração
e de miséria.
Não há tempo
para chorar os mortos:
insepultos cidadãos do previsível.
Não há tempo para nada,
só resta sobreviver,
fugir da própria dor,
resistir mais uma vez.


Imagem retirada da Internet - Foto by AP - todos os direitos reservados.