quarta-feira, 18 de novembro de 2009

José Gomes Sobrinho - Poema


JOSÉ GOMES SOBRINHO
(1935-2004)





Remexendo os guardados, deparei-me com este poema do amigo/poeta José Gomes Sobrinho, dedicado a mim, escrito num pedaço de envelope (amarelo), no primeiro dia de 1998, em Miracema do Tocantins, minha terra natal. José Gomes (Seo Gomes, como eu o chamava) nasceu em 1935, em Garanhuns (PE), filho de Luis Melchides Gomes, chegou ao Tocantins em 1989. Presidente do Conselho Estadual de Cultura, José Gomes Sobrinho era acadêmico da ATL- Academia Tocantinense de Letras, ocupante da cadeira nº 28, e da Academia Palmense de Letras, cadeira nº 09. Autor de 13 livros publicados, presidia também o Fórum Nacional de Conselheiros Estaduais de Cultura.





Reconhecimento segundo Chico Perna*



Descomeço noites
de um tempo que não há

Talvez porque já não estejam
a portos todos os guardas
de há muito esperados

Se descomeço ou não
importa-me pouco
a existência dos pássaros.



Miracema do Tocantins, 01/01/ 1998.




*O Chico do manuscrito fora grafado com "X", como eu assinava antigamente.
Foto by Victoria Shelton - Crow - Todos os Direitos reservados.