quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Aforismo















Seguimos com mais dois aforismo do jesuíta espanhol Baltasar Gracián (1647). Os aforismos aqui postados fazem parte do livro A Arte da Prudência, considerado um dos grandes livros de sabedoria universal.




Maestria nas palavras e nos atos

Abre caminho em toda parte, e ganha de antemão
o respeito. Influencia tudo:a prática das virtudes,
o orar, até o andar, o olhar, o querer. É uma gran-
de vitória cativar o coração dos outros. A lideran-
ça não nasce de uma audácia tola nem de um en-
fadonho divertimento mas de autoridade superi-
or ajudada pelo mérito.





Não ser afetado


Quanto mais talento, menos afetação. Trata-se de um defeito vulgar, que desmerece e é tão maçante aos outros quanto é incômodo a quem a pratica. Faz-nos sofrer de preocupação, pois é um tormento ter de manter as aparências. As maiores qualidades perdem seu mérito por causa da afetação, pois serão julgadas como sendo fruto do artifício em vez de uma graça natural, e o mais agradável do que o artificial. Os afetados serão tidos como faltos dos talentos que afetam. Quanto melhor você é em algo, mais deve ocultar seus esforços, de modo que a perfeição pareça ocorrer naturalmente. Não se deve, tampouco, para fugir da afetação fingir não tê-la. O homem prudente não deve nunca demonstrar mais que conhece os próprios méritos; a displicência desperta a atenção dos outros. Duplamente grande é quem tem todas as qualidades, mas nenhuma em sua própria opinião. Percorre seu próprio caminho até chegar ao aplauso.




In. A Arte da Prudência. São Paulo: Martin Claret, 2002. p.70-71.
Imagem: St. Mattew and the Angel, 1661. (Musée du Louvre, Paris, France) Rembrandt van Rijn. - 1606-1669 -