sexta-feira, 29 de maio de 2009

NAVEGANTE



Francisco Perna Filho












                     I


Meu coração é um navio azul, 
alimentado de velhas caixas e revistas. 
Nas pulsações mais fortes, 
mergulha nos tomates podres das feiras 
e velhos mercados. 
Compraz-se nas garrafas abandonadas 
de molhos e cervejas. 
O mar que o transporta tem cor de chumbo. 
Possui salas radiantes 
que a ele não são dadas conhecer. 
Meu coração navega nesse mar de coisas. 



                     II


Navio azul 
trazendo a dor de longínquas cidades. 
olhar de descobrimentos. 
Plúmbeo mar! 
conduz esta minha embarcação 
pelos portos tremeluzentes de orgasmos e discórdias. 
Pelos asilos, presídios e manicômios. 
Grande mar! 
daí a esta embarcação 
um pouco da tua força, 
um pouco da tua alma 
para um aprendizado de maresia